Fórum Social Mundial 2013 19 a 23 de janeiro 2016

FSM 2016 - FÓRUM SOCIAL MUNDIAL 15 ANOSFórum Social MundialHistória

A- A+ A- A+    A A A A    ?

História do Fórum

Há 26 anos a capital gaúcha é exemplo de democratização ao mundo todo, com a criação do Orçamento Participativo, OP, através do qual compartilha com os cidadãos a responsabilidade na definição sobre a aplicação de recursos públicos. Em mais de duas décadas, centenas de cidades inspiram-se nesse modelo. Esse exemplo de abertura democrática demonstra o quanto Porto Alegre proporciona o ambiente ideal para a realização do Fórum Social Mundial.

 

Porto Alegre passou a sediar o Fórum Social Mundial em 2001, com edições também realizadas em 2002, 2003 e 2005.  Ao renovar sua vocação cidadã, incentivando ações de cuidado com a cidade e respeito às diferenças, Porto Alegre buscava ser sede permanente da edição centralizada do FSM, Fórum Social Mundial, e do Acampamento Intercontinental da Juventude, com o apoio de entidades organizadoras e participantes.

 

Em 29 de novembro de 2012, o Prefeito José Fortunati sancionou a lei 11380 aprovada pela Câmara Municipal, oficializando o evento “Semana do Fórum Social Mundial”, em Porto Alegre  a ser celebrada todos os anos na última semana do mês de janeiro. Clique aqui para ver o documento. Esta lei foi criada a partir de uma demanda dos movimentos sociais e entidades organizadoras do Fórum Social Mundial.  

Histórico do FSM:

O primeiro Fórum Social Mundial teve objetivo de se contrapor ao Fórum Econômico Mundial de Davos que, desde 1971, defende as políticas neoliberais em todo mundo. O Comitê Organizador do FSM 2001 foi formado por oito entidades brasileiras: Abong, Attac, CBJP, Cives, CUT, Ibase, MST e Rede Social de Justiça e Direitos Humanos. Foi criado também um escritório, em São Paulo (Brasil), que, desde 2000 até os dias de hoje, apoia e dá suporte ao processo FSM, ao Conselho Internacional  (CI) do FSM e suas comissões e aos comitês organizadores dos eventos anuais do FSM. Além de integrarem o CI e suas comissões, as entidades que constroem o Fórum formam o chamado Coletivo Responsável pelo Escritório do FSM no Brasil.

 

 FSM 2001:  realizado em Porto Alegre (Rio Grande do Sul), Brasil, entre 25 e 30 de janeiro de 2001, contou com a participação de aproximadamente 20.000 pessoas, das quais cerca de 4.700 eram delegadas de diversas entidades abrangendo 117 diferentes países. A imprensa também esteve bastante presente com 1.870 credenciados. Clique aqui e veja mais detalhes sobre a memória do evento. 

 

Eixos temáticos do FSM 2001:
- A Produção de Riquezas e a Reprodução Social;
- O acesso às Riquezas e a Sustentabilidade;
- A Afirmação da Sociedade Civil e dos Espaços Públicos;
- Poder Político e Ética na Nova Sociedade.

 

FSM 2002:  realizado em Porto Alegre entre os dias 31 de janeiro e 05 de fevereiro, com a presença de 12.274 delegados/as representando 123 países. A imprensa compareceu com 3.356 jornalistas, sendo 1.866 brasileiros e 1.490 estrangeiros de 1066 veículos. O número de participantes superou todas as previsões com a estimativa de mais de 50.000 pessoas ao todo. Com os mesmos eixos temáticos do primeiro fórum, foram feitos 96 seminários, 27 conferências e 622 atividades autogestionadas (isto é, seminários e oficinas organizados pelas entidades participantes do FSM). Clique aqui e veja mais detalhes sobre a memória do evento. 


FSM 2003: realizado também em Porto Alegre, entre os dias 23 e 28 de janeiro de 2003, atraiu cerca de 100 mil pessoas do mundo inteiro. Cerca de 20 mil delegados/as, de um total de 123 países, cerca de 25 mil participantes do Acampamento da Juventude, jornalistas da mídia nacional e internacional (mais de 4.000) e demais participantes.


Foram  realizadas 10 conferências, 22 testemunhos, 4 mesas de diálogo e controvérsia e 36 painéis. No total foram 392 conferencistas de diversos países, número três vezes maior do que o de 2001. No eixo de atividades autogestionadas, houve um salto de cerca de 400 no FSM2001 para cerca de 1.300 em 2003.

 

Eixos temáticos do FSM 2003:
- Desenvolvimento democrático e sustentável
- Princípios e valores, direitos humanos, diversidade e igualdade
- Mídia, cultura e alternativas à mercantilização e homogeneização
- Poder político, sociedade civil e democracia
- Ordem mundial democrática, luta contra a militarização e promoção da paz

Clique aqui e veja mais detalhes sobre a memória do evento.

 

FSM 2004:  pela primeira vez, o Fórum Social Mundial foi realizado fora do Brasil. A decisão foi tomada pelo Conselho Internacional como parte do processo de construção da internacionalização do FSM. O local escolhido foi Mumbai, na Índia e a data: de 16 a 21 de janeiro de 2004.

 

Eixos temáticos do FSM 2004:
- Militarismo, guerra e paz
- Informação, conhecimento e cultura
- Meio ambiente e economia
- Exclusão, direitos e igualdade

Eixos transversais:
- Globalização imperialista
- Patriarcado
- Regimes de castas e racismo e exclusões sociais
- Sectarismo religioso, políticas de identidade e fundamentalismo (comunalismo)
- Militarismo e paz

 

 

FSM 2005:  nesta edição mundial do FSM voltou para Porto Alegre e foi realizada entre os dias 26 e 31 de janeiro. Foi constituído um Comitê Organizador Brasileiro formado por 23 organizações, subdivididas em oito GTs (Grupos de Trabalho) abertos: Espaços, Economia Popular Solidária, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Cultura, Tradução, Comunicação, Mobilização e Software Livre (articulado com o GT de Comunicação). Mais tarde, um nono GT foi criado: Programa.

O Programa foi criado sob nova metodologia ampliando a convergência, os diálogos e evitando a repetição de atividades de mesmo tema. As atividades passaram a ser autogestionadas pelas organizações participantes do Fórum. Realizou-se uma Consulta Temática para identificar  as questões  que as organizações partícipes do processo FSM consideravam importante discutir. Daí resultaram 11 espaços temáticos que organizaram todas as atividades:

01. Afirmando e defendendo os bens comuns da Terra e dos povos – Como alternativa à mercantilização e ao controle das transnacionais
02. Arte e criação: construindo as culturas de resistência dos povos
03. Comunicação: práticas contra-hegemônicas, direitos e alternativas
04. Defendendo as diversidades, pluralidade e identidades
05. Direitos humanos e dignidade para um mundo justo e igualitário
06. Economias soberanas pelos e para os povos – Contra o capitalismo neoliberal
07. Ética, cosmovisões e espiritualidades – Resistências e desafios para um novo mundo
08. Lutas sociais e alternativas democráticas – Contra a dominação neoliberal
09. Paz e desmilitarização – Luta contra a guerra, o livre comércio e a dívida
10. Pensamento autônomo, reapropiação e socialização do conhecimento (dos saberes) e das tecnologias
11. Rumo à construção de uma ordem democrática internacional e integração dos povos

Foram identificados também 5 eixos transversais:
01. Emancipação social e dimensão política das lutas
02. Luta contra o capitalismo patriarcal
03. Luta contra o racismo
04. Gênero
05. Diversidade

Na marcha que marcou o início do FSM 2005, estiveram presentes mais de 200 mil pessoas. No total, foram 155 mil participantes cadastrados, sendo 35 mil integrantes do Acampamento da Juventude e 6.823 comunicadores. Cerca de 6.872 organizações de 151 países estiveram envolvidas em 2.500 atividades no Território Social Mundial. As maiores delegações foram as do Brasil, da Argentina, dos Estados Unidos, do Uruguai e da França. Os dias de maior pico foram 29 e 30 de janeiro: 500 mil pessoas circularam no Território Social Mundial, de acordo com estimativas da Brigada Militar.

Cerca de 3.100 voluntários colaboraram na realização do encontro, em áreas como tradução, cultura, comunicação, logística e serviços, manutenção de redes e construções etc. Participaram 533 intérpretes (Babels) de 30 países. Dezesseis idiomas foram traduzidos durante o V FSM: português, inglês, francês, espanhol, árabe, japonês, hebraico, alemão, italiano, coreano, guarani, hindi, quechua, uolof (África), bahasa (Indonésia), russo e libras (linguagem brasileira de sinais). Clique aqui e veja mais detalhes sobre a memória do evento. 

FSM 2006: esta edição foi policêntrica, ou seja, ocorreu de forma descentralizada, em diferentes lugares do mundo. Três cidades sediaram o FSM 2006: Bamako (Mali - África), entre 19 e 23 de janeiro de 2006, Caracas (Venezuela – América) e Karachi (Paquistão – Ásia), entre 24 e 29 de março de 2006. A edição de Karachi, originalmente, estava planejada para acontecer simultaneamente ao evento venezuelano. Porém, devido ao terremoto que atingiu o país em outubro de 2005, sua realização foi adiada por dois meses.

Como nos anos anteriores, a programação do FSM policêntrico foi construída de maneira participativa, (clique aqui para ler sobre a metodologia do FSM 2006.

Para o evento de Caracas, foi organizada uma consulta temática entre maio e final de julho de 2005. Seus resultados foram analisados em uma reunião do Conselho Hemisférico Américas, realizada entre 14 e 17 de agosto, em Caracas (Venezuela), que levou à definição de seis eixos temáticos e dois transversais. Nos casos de Bamako e Karachi, a consulta teve como ponto de partida uma lista de temas pré-definida pelas instâncias desses respectivos fóruns. Clique nos links abaixo e veja os eixos temáticos de cada um dos eventos policêntricos:

- FSM 2006 policêntrico capítulo Américas e II Fórum Social Américas


- FSM 2006 policêntrico - Karachi, Paquistão – Ásia


- FSM 2006 policêntrico - Bamako, Mali – África



FSM 2007: primeiro FSM no continente africano foi realizado entre os dias 20 e 25 de janeiro de 2007, em Nairóbi, Quênia. A metodologia de construção do FSM 2007 foi marcada pela realização de uma consulta ampla sobre ações, campanhas e lutas em que estão envolvidas as organizações participantes do FSM (ver no site: http://consultation.wsf2007.org/).. Veja a seguir quais foram os objetivos traçados pela consulta:

1. Pela construção de um mundo de paz, justiça, ética e respeito pelas espiritualidades diversas
2. Pela libertação do mundo do domínio das multinacionais e do capital financeiro
3. Pelo acesso universal e sustentável aos bens comuns da humanidade e da natureza
4. Pela democratização do conhecimento e da informação
5. Pela dignidade, diversidade, garantia da igualdade de gênero e eliminação de todas as formas de discriminação
6. Pela garantia dos direitos econômicos, sociais, humanos e culturais, especialmente os direitos à alimentação, saúde, educação, habitação, emprego e trabalho digno
7. Pela construção de uma ordem mundial baseada na soberania, na autodeterminação e nos direitos dos povos
8. Pela construção de uma economia centrada nos povos e na sustentabilidade
9. Pela construção de estruturas políticas realmente democráticas e instituições com a participação da população nas decisões e controle dos negócios e recursos públicos

Outra característica da metodologia do FSM 2007 foi a definição de um quarto dia de atividades voltado para a apresentação e socialização das propostas de ações resultaram das reflexões durante as atividades autogestionadas realizadas nos dias anteriores. Ver a íntegra da nota informativa sobre o quarto dia.

Processo FSM em 2008

O Conselho Internacional do Fórum Social Mundial definiu que, em janeiro de 2008, não haveria um evento centralizado do processo FSM e sim é uma semana de mobilização e ação global, marcada por um dia de visibilidade mundial em 26 de janeiro de 2008. Leia a íntegra do chamado para um Dia de Mobilização e Ação Global. Fóruns locais, regionais, temáticos também estão programados ao longo do ano.

 

FSM 2009: nona edição do FSM aconteceu na Amazônia, em Belém, capital do estado do Pará, entre 27 de janeiro e 1° de fevereiro, reunindo cerca de 120 mil pessoas de 150 países.

A discussão acerca da sustentabilidade ambiental e o esgotamento do modelo econômico neoliberal foram os principais assuntos do encontro.

FSM 2010: o FSM descentraliza-se em pelo menos 27 eventos espalhados pelo mundo.

O primeiro deles, o "Fórum Social 10 Anos: Grande Porto Alegre" foi programado para o período de 25 a 29 de janeiro, com atividades em vários municípios região metropolitana de Porto Alegre - Porto Alegre, Gravataí, Canoas, São Leopoldo, Novo Hamburgo e Sapiranga.

Crise financeira, ecológica e social foram temas abordados durante o Fórum.

Rodas de Conversa sobre 10 Anos de Comunicação Compartilhada no processo Fórum Social Mundial foram realizadas em Porto Alegre, com os coletivos gestores das coberturas, em Canoas, com rádios comunitárias do Brasíl, Quênia e Argentina, e em Salvador, com o movimento negro. A principal orientação para as atividades coletivas em 2010 é a junção de comunicação e cultura compartilhadas, e a meta dos coletivos no processo FSM 2010 é contaminar todas as temáticas do FSM com o debate da comunicação e cultura como dimensões indissociáveis de qualquer proposta de transformação social.

 

FSM 2011: retornou à África, depois de Nairóbi (Quênia), Dacar, capital senegalesa, recebeu a edição centralizada entre 6 e 11 de fevereiro, diferentemente de anos anteriores em que acontecia nos mesmos dias do Fórum Econômico de Davos. Com enfoque na história de resistência e luta dos povos africanos, o FSM 2011 buscou encontrar a interface necessária com as lutas e as estratégias globais comuns à África, ao Sul e ao resto do mundo. Para os organizadores, o retorno do FSM à África expressava a solidariedade ativa do movimento social internacional para que a África  não pagasse  pela crise atual do capitalismo, já estando enfraquecida pelos programas de ajustes estruturais da década de 1980 e 1990.”

 

FSM 2012:  de 24 a 29 de janeiro de 2012 aconteceu o Fórum Social Temático em Porto Alegre, Rio Grande do Sul,  e cidades da região metropolitana, com enfoque nos temas.

Foi organizado por um grupo de ativistas e movimentos sociais ligados ao processo do Fórum Social Mundial. O FST 2012 se propôs ser um espaço de debates preparatórios para a Cúpula dos Povos, reunião alternativa à cúpula das Nações Unidas para o desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que aconteceu em junho, no Rio de Janeiro.

 

 


 



              

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL |  PROGRAMAÇÃOSOBRE PORTO ALEGRE